Ato de resistência: abordagem sobre os fundamentos históricos, origem e impactos sociais. A temática norteou a grande roda de Capoeira, que aconteceu nesta quinta-feira (15), na Águas de Teresina, com a participação do grupo Raízes do Brasil. A ação ainda contou com a apresentação de toques dos jovens do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro Brasileira, que promoveu integração entre os colaboradores.

O grupo do Centro Nacional de Africanidade e Resistência Afro Brasileira realizou a apresentação de tambores com instrumentos que foram confeccionados a partir de canos doados pela Águas de Teresina. “A parceria com a empresa foi muito significativa porque o cano é o material fundamental para criação dos tambores. Nossos jovens tiveram aulas de confecção e toques, e participaram ativamente na construção dos tambores. Então hoje viemos realizar a entrega simbólica na unidade e estreitar cada vez mais os laços para que possamos atender os jovens gerando emprego e renda”, observa o responsável pelo projeto, Rondinelli Santos.

 

A capoeira é uma das maiores expressões culturais afro-brasileiras e foi reconhecida como Patrimônio Cultural Brasileiro, sendo registrada como Bem Cultural de Natureza Imaterial. Daí a importância do movimento. “Nós somos engajados na luta pela igualdade racial e contamos com o programa Respeito dá o Tom, que visa promover a equidade nas oportunidades de acesso à empresa e de crescimento profissional dos colaboradores que se autodeclaram pretos e pardos. Essa oportunidade de trazer a roda de capoeira para a Águas de Teresina é muito importante porque aproxima ainda mais os funcionários, fazendo com que eles conheçam melhor o movimento”, declara a coordenadora do comitê do Respeito dá o Tom, Narailka Vaz.