A capacidade técnica e a eficiência em gestão de perdas da Águas de Teresina foram temas da reunião com representantes da Companhia de Água e Esgoto do Estado do Ceará (Cagece). O encontro aconteceu nesta segunda-feira (21), na sede da concessionária, que aproveitou a oportunidade para detalhar seu programa de redução de perdas.

“Nós fomos procurados para compartilhar boas práticas de negócio e isso nos mostra que estamos no caminho certo para tornar Teresina referência em saneamento no Nordeste. Assim, demonstramos nosso sistema de abastecimento de água e detalhamos as estratégias utilizadas para realizar cada serviço”, conta a coordenadora operacional da Águas de Teresina, Luísa Souza.

A empresa está no segundo ano de concessão e já reduziu seu índice de perdas em 30%. O índice saiu de 64,1% para 44,9%. A Águas de Teresina busca atingir a meta de 25% até o ano de 2027. Para tanto, são realizadas as seguintes ações: instalação de hidrômetros; troca corretiva e preventiva de hidrômetros e ramais; macromedição; fiscalização; automação e pesquisa de vazamentos nas redes de distribuição.

Para a gerente da Unidade de Negócio da Bacia da Serra da Ibiapaba (UNBSI), Nataly Acácio, a intenção do encontro foi melhorar os processos internos e conhecer a realidade do setor privado. “Percebemos que realizamos ações parecidas, mas a Águas de Teresina tem atividades mais elaboradas e assertivas, então tivemos interesse em dividir conhecimento porque acreditamos que a união do setor público com o privado traz ganhos positivos para toda a sociedade”, avalia.

A UNBSI tem a meta de reduzir seu índice de perdas para 25% até 2025. Sua unidade conta com uma Estação de Tratamento de Água (ETA) que abastece sete cidades cearenses, atendendo aproximadamente 300 mil pessoas. A Companhia já atingiu a universalização do abastecimento de água tratada e conta com cidades como Tianguá, que possui 90% de cobertura de esgotamento sanitário.